domingo, 16 de fevereiro de 2020

OS COMANDOS NOS TRÊS TEATROS DA GUERRA DO ULTRAMAR - 2ª SÉRIE - CURSOS REALIZADOS EM ANGOLA - APRESENTAÇÃO

 
Esta série, a segunda dum imenso trabalho que quer prestar tributo aos Comandos que cumpriram a sua nobre e honrosa missão em África, terá, como destaque, o registo do que aconteceu nos 31 cursos levados a efeito em Angola, com dados pouco ou nada revelados até agora.
Diga-se, em abono da  verdade, que na procura da informação fomos até onde pudemos.
A falta de pormenores obrigou-nos a procurá-los por tudo o que é sítio, mas não fomos felizes, na totalidade. E é pena, pois a história exige que se preserve o que de valor, paixão e entrega que se verificou, para dar a conhecer aos vindouros, como é o caso dos bravos Comandos que se assumiram como guardiões da portugalidade e dos feitos mais eloquentes e marcantes praticados pelos ancestrais de que muito nos orgulham.
Portanto, é o que há e ponto final!
Assim, durante a divulgação do trabalho, vão ser referidos os seguintes temas: onde decorreram os cursos, as datas do seu início e final e em quantos dias decorreu; o número de formandos selecionados, assim como o quantitativo número dos que foram eliminados e o total daqueles que atingiram o seu objetivo: a merecida obtenção da boina e do crachá! A estes será feito o reconhecimento com a divulgação dos seus nomes, por ordem alfabética, das suas patentes e dos seus números de identificação militar. Também damos o devido destaque aos Instrutores, Monitores e Auxiliares, que tornaram possível o projecto a que se propuseram e, por fim, as unidades operacionais que foram formadas perante a aprendizagem militar especializada.
Agradece-se a todos aqueles que se disponibilizaram com as importantes e valiosas ajudas, contribuindo, assim, de forma superior para a realização deste projeto, destacando os livros de CECA-Comissão para o Estudo das Campanhas em África, com imensa e relevante informação, assim como a Associação de Comandos, o Arquivo Geral do Exército, a Biblioteca do Exército e o Arquivo Histórico Militar, especialmente os seus prestáveis e credenciados colaboradores, sem esquecer os atenciosos Comandos que foram contatados no sentido de facultarem elementos que estavam em falta e que muito valeram.
-QUIBALA-
Muitas das imagens que divulgo, com a devida vénia e agradecimento, têm origem em pesquisas efetuadas na net, uma fonte inesgotável, útil e enorme.
 -LUANDA-
Contudo, destaque-se o pouco rigor que os Centros de Instrução de Angola tinham com o acompanhamento dos cursos por si realizados, dado que no final de cada qual, não apresentavam dados importantes do que aconteceu antes e durante a formação, especialmente com vista a memória futura, já que o registo de tantos elementos que possuíam e estavam à sua guarda, deveriam ser motivo para avançarem com o exigível resumo tão necessário nestas coisas.
Na minha ótica poderiam dar conhecimento de muitos assuntos no mesmo resumo, tais como o quantitativo, nomes completos (aqui foi área que mais falhas teve), patentes, número de identificação militar e unidades de origem dos selecionados para frequentarem os cursos, quantos foram eliminados e, finalmente, quantos foram aprovados, em ambos os casos também com a respetiva identificação integral. Outros elementos tão importantes para as estatísticas, como feridos e mortos no decorrer do curso, assim como as unidades que foram formadas, louvores e as operações em que os alunos participaram. Os programas, os horários e as matérias que foram lecionadas.
Os formadores, monitores e auxiliares que estiveram à frente da instrução também deveriam ser mencionados, para além da especificidade das matérias que lecionaram, cada qual com as suas respetivas identificações base.
O que nos deram os Centros de Instrução de Angola, nos cursos que promoveram, foi muito pouco para o objetivo que hoje se pretende alcançar. Não nos proporcionaram um registo de tudo o que se passou, mas sim elementos esporádicos expressos em vários e distantes dias dos factos, como as suas Ordens de Serviço assim comprovam. Isto, porque hoje, para conciliar os dados preconizados, procura-se por tudo o que é sítio (arquivos, bibliotecas, etc.) e, praticamente, apesar da minuciosidade aplicada, pouco se encontra.

Foram três os Centros de Instrução utilizados para se realizarem os Cursos. A saber: o primeiro, onde foram formados os 10 Grupos Iniciais, foi em Zemba ( CI 21); seguiu-se Quibala, para os 13 Grupos Iniciais; por fim, surge Luanda, Belo Horizonte, que levou a cabo os restantes 28.

Caso constate haver lapsos, omissões ou erros, agradeço e solicito que me transmita o que achar por bem para se proceder em conformidade.

O total de nomes envolvidos nos 31 cursos, é de:

INSTRUENDOS SELECIONADOS: 10.137
ELIMINADOS: 4.811
APROVADOS: 5.326
INSTRUTORES, MONITORES E AUXILIARES: 2.140

Entretanto, aqui fica o programa da divulgação neste blog, dos Cursos efetuados em Angola, entre Setembro de 1962 e Janeiro de 1975:

CURSO INICIAL
(de 09.09.1962 a 30.11.1962, Zemba)
Dia 17 de fevereiro de 2020, segunda-feira.

1º CURSO
(de 30.06.1963 a 25.09.1963, Quibala)
Dia 18 de fevereiro, terça-feira

2º CURSO
(de 11.02.1964 a 10.05.1964, Quibala)
Dia 19 de fevereiro, quarta-feira

3º CURSO
(de 01.09.1964 a 03.02.1965, Luanda)
Dia 20 de fevereiro, quinta-feira

4º CURSO
(de 09.06.1965 a 29.11.1965, Luanda)
Dia 21 de fevereiro, sexta-feira

5º CURSO
(de 30.06.1966 a 30.09.1966, Luanda)
Dia 24 de fevereiro, segunda-feira

6º CURSO
(de 07.11.1966 a 22.02.1967, Luanda)
Dia 25 de fevereiro, terça-feira

7º CURSO
(de 16.04.1967 a 21.07.1967, Luanda)
Dia 26 de fevereiro, quarta-feira

8º CURSO
(de 21.08.1967 a 24.11.1967, Luanda)
Dia 27 de fevereiro, quinta-feira

9º CURSO
(de 16.10.1967 a 23.12.1967, Luanda)
Dia 28 de fevereiro, sexta-feira

10º CURSO
De 11.12.1967 a 20.03.1968, Luanda)
Dia 2 de março, segunda-feira

11º CURSO
(de18.04.1968 a 24.07.1968, Luanda)
Dia 3 de março, terça-feira

12º CURSO
(de 04.07.1968 a 19.09.1968, Luanda)
Dia 4 de março, quarta-feira

13º CURSO
(de 14.10.1968 a 10.01.1969, Luanda)
Dia 5 de março, quinta-feira

14º CURSO
(de 24.01.1969 a 21.04.1969, Luanda)
Dia 6 de março, sexta-feira

15º CURSO
(de 04.05.1969 a 12.08.1969, Luanda)
Dia 9 de março, segunda-feira

16º CURSO
(de 19.08.1969 a 28.11.1969, Luanda)
Dia 10 de março, terça-feira

17º CURSO
(de 14.12.1969 a 15.04.1970, Luanda)
Dia 11 de março, quarta-feira

18º CURSO
(de 07.05.1970 a 15.08.1970, Luanda)
Dia 12 de março, quinta-feira

19º CURSO
(de 17.08.1970 a 30.11.1970, Luanda)
Dia 13 de março, sexta-feira

20º CURSO
(de 12.12.1970 a 27.03.1971, Luanda)
Dia 16 de março, segunda-feira

21º CURSO
(de 08.03.1971 a 26.06.1971, Luanda)
Dia 17 de março, terça-feira

22º CURSO
(de 14.07.1971 a 29.10.1971, Luanda)
Dia 18 de março, quarta-feira

23º CURSO
(de 16.11.1971 a 27.03.1972, Luanda)
Dia 19 de março, quinta-feira

24º CURSO
(de 21.04.1972 a 10.08.1972, Luanda)
Dia 20 de março, sexta-feira

25º CURSO
(de 01.09.1972 a 20.12.1972, Luanda)
Dia 23 de março, segunda-feira

26º CURSO
(de 25.01.1973 a 17.05.1973, Luanda)
Dia 24 de março, terça-feira

27º CURSO
(de 23.06.1973 a 12.10.1973, Luanda)
Dia 25 de março, quarta-feira

28º CURSO
(de 07.11.1973 a 28.02.1974, Luanda)
Dia 26 de março, quinta-feira

29º CURSO
(de 06.05.1974 a 22.08.1974, Luanda)
Dia 27 de março, sexta-feira

30º E ÚLTIMO CURSO
(de 14.10.1974 a 28.01.1975, Luanda)
Dia 30 de março, segunda-feira

Com desejos de uma boa leitura e, se for o caso, também umas excelentes recordações,
despeço-me até ao próximo tema:
as Companhias de Comandos que operaram em Angola.

Saudações.

Alberto Helder
alberto.helder@gmail.com
913 671 154

Sem comentários: