quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

PRESENÇA DA POLÍCIA MILITAR NA ENTÃO PU DE MACAU (de 1962 a 1975) – 3º DE 10 EPISÓDIOS – PPM 932





02 - PELOTÃO DE POLÍCIA MILITAR 932
Unidade mobilizadora: Regimento de Lanceiros 2 (Lisboa).
Divisa:
Saída para Macau: 5 de agosto de 1964, no navio Índia.
Serviço Postal Militar: 1063
Publicação editada:
Regresso a Lisboa: 22 de junho de 1966, no navio Timor.
A distância entre cidades, em linha reta, é de 10.984 quilómetros.
A mobilização decorreu ao longo de: 687 dias.
Permanência no território: 596 dias.
As viagens tiveram o total de 91 dias a navegar (49 ida+42 volta).
Distinções recebidas:
Ordens de Serviço da unidade:
História da unidade:
Vídeo da unidade: https://www.youtube.com/watch?v=Lf1MJB3vP6w
Página na internet:
Este episódio tem 37 páginas e 134 imagens.

CONTINGENTE: 40 MILITARES

OFICIAIS: 1

Alberto Lopes Sequeira, Alferes

SARGENTOS: 3

António Cristiano Baleiro Salgueiro, Furriel
António Jacinto Oliveira Temudo Melo, Furriel
Manuel Forçado Parra Carapinha, 2º Sargento

PRAÇAS: 36
Adelino Nunes, 1º Cabo 1157/63

Agostinho Moura Santarém, 1º Cabo 1095/63
António Assunção Gandarês, Soldado 1036/63
António Júlio Sousa Miguel Jorge, Soldado 1060/63
António Silva Dias, Soldado 682/63
Armando Rafael Cardeira Costa Moura, Soldado 1011/63
Armando Rosa Caetano, Soldado 1047/63
Artur Manuel Machado Roque, Soldado 145/64
Carlos António Alhinho Moreira, 1º Cabo 823/62
Custódio José Fernandes Cunha, Soldado 175/62
Diomar Gomes Santos, Soldado 1023/63
Ernesto Teixeira Tavares, Soldado 681/63
Fernando Alberto Paiva Silva, 1º Cabo 1154/63
Fernando Arsénio Vieira Corredoura, Soldado 1048/63
Fernando Lopes Barão, Soldado 689/63
Fernando Matos Fernandes Pina, Soldado 1026/63
Francisco Ferreira Pinto, Soldado 1030/63
João Manuel Figueiredo Burguete, Soldado 983/63
Joaquim Aires Alves Silva, Soldado 129/64
Joaquim Maria Carreira, 1º Cabo 1032/63
José Carlos Lopes Bonifácio, Soldado 1078/63
José Maria Cebola, Soldado 794/63
José Maria Marques Lucas, 1º Cabo 738/63
José Marques Coelho, Soldado 540/63
José Nascimento Barros, Soldado 126/64
José Nuno Silva Estima, Soldado 676/63
Manuel Abrantes Carvalho Tomé, Soldado 994/63
Manuel Brásio Neves, Soldado 692/63
Manuel Eusébio Fernandes, Soldado 457/63
Manuel Jesus Abreu, Soldado 637/63
Manuel Pedrosa Carvalho, Soldado 991/63
Manuel Sá Ribeiro, Soldado 668/63
Manuel Vítor Marques Lourenço, Soldado 1020/63
Mário Alcaide Galhós, 1º Cabo 1141/63
Mário Henriques Pereira, Soldado 1005/63
Raul Batista Sebastião, Soldado 1052/63

ALGUMAS NOTAS: 
O PPM 932 adotou, desde Lisboa e como mascote um canídeo, um pastor-alemão, batizado de “Douro”.

A ida para Macau, com saída de Lisboa naquele dia 5 de agosto, passou-se pelos portos de Luanda, Lourenço Marques, Beira, Nacala, Singapura e Hong Kong, com a chegada ao destino, a 22 de setembro de 1964 (terça), com algum atraso, pois tiveram de superar as dificuldades criadas pelo tufão Ruby, isto em 5 de setembro, que atingiu fortemente as redondezas de Macau. O seu primeiro aquartelamento foi o Quartel General.

Os elementos do Pelotão, para além da preparação a que estavam sujeitos para o desempenho militar, desenvolveram atividade desportiva, como futebol, ciclismo e outras modalidades.

Também alguns aproveitaram para cursar o ciclo preparatório e darem aulas de instrução primária a quem necessitasse, assim como aprender línguas estrangeiras, especialmente o cantonês.

O relacionamento do PPM 932, com a comunidade local pautou-se sempre pelo excelente comportamento.

Aos militares era exigido o máximo de rigor na sua apresentação pessoal, especialmente na apresentação pessoal e no uniforme militar e era muito raro a permissão de vestirem à civil.

O Soldado condutor auto Armando Moura, mais conhecido pelo “Montijo”, exímio guarda-redes, teve o privilégio de ser escolhido, como efetivo, para a seleção amadora da Associação de Futebol de Macau que defrontou a sua congénere de Hong Kong, que alinhou só com jogadores profissionais, em 2 de maio de 1965, no 23º encontro entre si, cujo resultado final foi favorável aos visitantes por 2-1.

No regresso a Lisboa, iniciado às 12H00 do dia 12 de maio de 1966 (quinta), o NTT TIMOR, passou por Díli, onde estiveram por 3 dias, e pelo Canal de Suez, demorando, por isso, 42 dias a chegar a Lisboa.

Este contingente permaneceu, portanto, em Macau 596 dias, algum tempo menos em relação às restantes unidades que se lhe seguiram, dada a sua saída tardia de Lisboa a aguardar transporte, já que se encontrava pronto a seguir viagem para Macau, desde 27 de julho de 1963.
Segundo o Decreto-Lei 42.937/60, de 22 de abril, o tempo normal de serviço militar obrigatório apontava para dois anos (730 dias). 
Depois do regresso, os convívios entre os componentes do PPM 932 têm sido uma realidade e o próximo é em maio de 2018, em Torres Novas.
 
Importante: Os Veteranos que tenham cumprido o serviço militar em Angola, Cabo Verde, Guiné, Macau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor e se tiverem direito à medalha comemorativa das Campanhas no Ultramar e que ainda não a possuam, poderão requerê-la gratuitamente no Arquivo Geral do Exército, situado no Largo de Chelas (Antigo Convento), em Lisboa. Telefone: 218 391 600. Telefaxe: 218 391 611. Correio eletrónico: arqgex@mail.exercito.pt
Ver mais: http://ultramar.terraweb.biz/index_medalhas_SM_Ultramar1.htm








































































































































Sem comentários: