domingo, 15 de julho de 2018

COMUNICAÇÃO SOCIAL SANTOMENSE REUNE-SE EM CONVÍVIO!

Este domingo, 15 de julho de 2018, serviu de pretexto para que houvesse um almoço de confraternização entre aqueles que, nas mais belas e encantadoras ilhas africanas, se divertiram a trabalhar nos órgãos de comunicação locais, tendo a Radio sido motivadora para outros objetivos e carreiras.
Estiveram reunidos numa unidade hoteleira de Odivelas, entre senhoras e homens, 42 convivas, que recordaram tempos idos e de imensas e agradáveis lembranças, que aproveitaram para voltar a falar nelas com carinho, simpatia e muita emoção.
A minha presença baseou-se na simples ajuda que possa prestar, indicando pistas para que sejam recolhidos preciosos elementos para o excelente trabalho que o escritor e meu ilustre Amigo António Bondoso está a desenvolver em relação ao Radio Clube de São Tomé e as suas vicissitudes, através dos tempos.
Aquele que foi o primeiro emissor radiofónico em São Tomé, teve os seus Estatutos publicados no Boletim Oficial de 5 de junho de 1948, mas só foi inaugurado no dia 12 de dezembro do mesmo ano.
Infelizmente a sua extinção foi decretada passados cinco anos, através de despacho do Governador da então Província Ultramarina portuguesa, em 31 de dezembro de 1953.
Mas o entusiasmo das “gentes da radio” não acabou. Bem pelo contrário, houve uma dinâmica, um querer, uma vontade, valências que valeram a sua recuperação e existência durante muitos anos.
No meio disto tudo tive o privilégio de, 52 anos depois, ter encontrado o nobre amigo Faustino Carvalho, brioso, valoroso e digno adversário que alinhava no Sporting Clube de São Tomé e que tivemos a honra de nos defrontar no dia 21 de dezembro de 1965, ele no seu clube e eu no glorioso Sport São Tomé e Benfica, jogo que perdeu por 1-0. Estamos identificados na última foto, ele a verde e eu, naturalmente, a vermelho.

Ai que saudades, ai, ai…

 

 

   

Sem comentários: